logo RCN

Abatedouro Giombelli fecha as portas

  • - Família Giombelli deu baixa no abatedouro com o coração entristecido

Proprietários alegam dificuldades em atender exigências legais para manter operações.

O Abatedouro de Aves Giombelli, de linha Forquilha, interior de Seara, encerrou as atividades no dia 30 de abril após quase 22 anos de trajetória. O empreendimento familiar abatia e processava frangos para comercialização em Seara e região.

Em entrevista ao Folhasete nesta semana, Gilberto Giombelli, um dos idealizadores do negócio, revelou que o sentimento da família, que envolve seu pai, o irmão e familiares, “é um misto de tristeza e indignação”. Relata que foi a duras penas que a Família Giombelli conseguiu construir a estrutura e operar dentro das normas e exigências cada vez mais rigorosas, com grande demanda de investimentos.

Eram abatidas na unidade entre 350 a 380 aves por semana. “Nossos produtos eram diferenciados e muito bem aceitos pelo mercado, pelos consumidores, não só aqui de Seara. A produção era levada para mais de 40 municípios, sendo que parte era destinada à alimentação escolar”.

Gilberto destaca que entre 2001 e 2002 houve um investimento alto para começar o negócio. “E em 2013 fizemos uma ampliação que quase duplicou a unidade e parte dos frios, bem como a estocagem dos produtos que foi praticamente triplicada a capacidade para atender a demanda do mercado”.

O Abatedouro Giombelli servia como unidade de referência tecnológica da Embrapa. “Aqui foram testados muitos ingredientes para a fabricação de ração para alimentar a produção de aves. Teve até experimentos em parceria com a empresa e um incubatório onde foram testadas várias linhagens de frangos. Além disso, recentemente fechamos uma parceria com a Udesc testando a parte de nutrição. Nós também abríamos as portas para a Embrapa, que produzia frangos para testagem de nutrição e metabolismo. Depois nós abatíamos e eles usavam nossa estrutura para fazer o acompanhamento do rendimento das carcaças e dos cortes, um trabalho importante para eles, porque dentro das grandes empresas não conseguem fazer isso”.

Com a baixa, perde-se um empreendimento da agricultura familiar e a parte de pesquisa científica também. Perdem a economia local e os consumidores que apreciavam os produtos da família Giombelli. “O sentimento é de indignação, porque perante à legislação imposta às pequenas agroindústrias, que se limitam a vender para o mercado local e são obrigadas a se adequar a essa mesma legislação que norteia as grandes agroindústrias que detém o mercado amplo, inclusive para exportação. Mas quem mais perde é o consumidor. É triste. Foram muitas lutas desde o começo, tempos difíceis e agora que estava funcionando bem tivemos que fechar. Porém, a paz de nossa família está acima de todo e qualquer empreendimento”.


Agradecimento

Gilberto Giombelli faz um agradecimento especial. “Queremos agradecer nossos clientes e consumidores que foram fieis aos nossos produtos do início ao fim, que confiaram e nos respaldaram todos esses anos”.

Abatedouro Giombelli fecha as portas Anterior

Abatedouro Giombelli fecha as portas

EMPREGO - Números negativos no primeiro trimestre Próximo

EMPREGO - Números negativos no primeiro trimestre

Deixe seu comentário

Geral